sábado, 8 de outubro de 2011

Resenha #34

O Céu Está em Todo Lugar , Jandy Nelson


Para os amantes do drama e do romance.

 
Lennie Walker, de dezessete anos de idade, gasta seu tempo de forma segura e feliz às sombras de sua irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre abruptamente, Lennie é catapultada para o centro do palco de sua própria vida - e, apesar de sua inexistente história com os meninos, inesperadamente se encontra lutando para equilibrar dois. Toby era o namorado de Bailey, cujos sentimentos de tristeza Lennie também sente. Joe é o garoto novo da cidade, com um sorriso quase mágico. Um garoto a tira da tristeza, o outro se consola com ela. Mas os dois não podem colidir sem que o mundo de Lennie exploda. (Sinopse original do livro)


Essa foi à resenha mais difícil que eu já escrevi, o livro é um dos mais comentados nesse semestre e mais elogiado.

De nenhum modo esse livro é ruim, vemos pela escrita da autora que é simples, porém cheio de expectativa. A autora sabe o que escrever e como escrever. Em nenhum momento ela se perde ou deixa os leitores se perder.
O livro é cheio de referências jovens, a autora sabe do que os adolescentes estão falando, do que eles gostam e o que está na moda ( e não estou falando de roupas).


Ai vocês me perguntam, e por que diabos você deu nota 3 se acabou de elogiar tanto o livro logo acima?!
E eu respondo: a dramaticidade exagerada e a repetitividade nisso. Eu não agüentava mais ler “minha irmã morta”, eu não sábia se era a autora, a personagem ou pior EU quem precisava de um psicólogo para agüentar tudo isso.

E o que essas garotas americanas tanto têm com “O Morro dos Ventos Uivantes”? Porque eu já li e não tenho muito do que elogiar também.


Ah e voltando a elogios, o livro é simplesmente MARAVILHOSO em sua composição, a capa é mais durinha e uma fonte toda azul.
A personagem tem o costume de escrever poemas nos lugares mais inusitados e todos eles estão presentes no livro, seja na foto de um papel de bala ou um copo descartável.

2 comentários:

Igor Gouveia disse...

Quero ele. A diagramação dele parece ser mesmo fantástica. Pena que não gostou muito dele :/

Abraços.
http://25conto.blogspot.com/

Laquale disse...

Pelo jeito, a protagonista deve ser muito dependente da irmã. E acho que suas escolhas devem acontecer após o fato da morte da mesma. Sinceramente, não me chamou muito a atenção.

Postar um comentário