domingo, 6 de fevereiro de 2011

Resenha #2

Diário de um Banana - Jeff Kinney 

Sinopse: Não é fácil ser criança. E ninguém sabe disso melhor do que Greg Heffley, que se vê mergulhado no ensino fundamental, onde fracotes subdesenvolvidos dividem os corredores com garotos que são mais altos, mais malvados e já se barbeiam. Como Greg diz em seu diário: " Só não espere que eu seja todo ´Querido diário´ isso, ´Querido diário´ aquilo." Para nossa sorte, o que Greg Heffley diz que fará e o que ele realmente faz são duas coisas bem diferentes.
No primeiro livro da coleção, o autor e ilustrador Jeff Kinney nos apresenta um herói improvável e encantador. Um garoto comum às voltas com os desafios da puberdade.
 
 
http://1.bp.blogspot.com/_AusipIOtwO4/TPHzSEoZGjI/AAAAAAAAAL8/BUorJvrC7dI/s1600/diario_de_um_banana1.jpgResenha:

Diário de um Banana, ou melhor, o Livro de Memórias de Greg Heffley como melhor ele descreve, segue a estória do pequeno Greg que com apenas 13 anos já tem uma vida muito complicada, ou seria melhor muito bagunçada? Não tem como definir, mas uma coisa é certo tudo que Greg está envolvido se torna uma bagunça total.

O livro, é dividido como um Diário, a cada dia que passa Greg nos conta o que aconteceu e vem sempre com uma ilustração representando a parte mais engraçada, feita pelo próprio autor.
A vida de Greg se passa entre as aulas e seus dias em casa, as brincadeiras na rua e na casa do seu melhor amigo Rowley.

Todos os personagens da estória são unicamente hilariantes. Prometo que algum dia faço um posto dedicado à descrição de cada personagem.
Não deixe se enganar pelo aspecto infantil do livro, afinal as piadas são tão bem elaboradas que dificilmente uma criança entendera. O livro é totalmente escrito para um publico Juvenil e Adulto.

A primeira vez que eu vi o livro pensei que fosse uma HQ (estórias em quadrinhos), um pouco diferente, já que estava na prateleira de livros. Mas quando ganhei de presente e comecei a ler, é um dos livros mais viciante e mais fácil de ler que eu tenho em casa.
Quando você acaba em poucas horas, afinal são apenas 217 páginas dividadas em uma font que parece ser escrita com letra a “mão" grande, já que o livro é todo cheio de linha, e as ilustrações. Eu não ligaria nem um pouco em perder um dia inteiro lendo mais de 1.000 páginas sobre as aventuras do nosso pequeno herói.

Não da para negar que o livro merecidamente ficou em primeiro lugar no New York Times. Tenho todos os outros livros, e estou roendo as unhas esperando o quarto livro da série.


Tem algum livro da série? Então comente! :)

1 comentários:

Rafael disse...

Muito legal a resenha. Só me deu mais vontade de ler.
E confirmou minha tese de que DduB não é infantil. (Y)

Abraço, Douglas!
@rafaschiabel
http://lembradaquelahistoria.blogspot.com/

Postar um comentário